segunda-feira, 16 de julho de 2012

Filhos Bastardos

Operários, de Tarsila do Amaral: um retrato da miscigenação brasileira



A cidade onde nasci só me ofereceu de bom a oportunidade de oferecer a ela o que nunca me foi oferecido. Se o que eu queria não houvesse era á oportunidade que eu tinha para que a cidade tivesse. Não que assim ela tivesse me ensinado a pescar, mesmo por que às vezes nem peixe havia nas suas Aguas correntes, foi à vontade de ter com a necessidade de Haver que eu tive, e por sua vez tantos outros tiveram. Ela é um orfanato onde há muitos órfãos de esperança, e ao mesmo tempo adota filhos de outras terras com muitas promessas, às vezes dá-lhes de mama em uma teta farta de leite, enquanto alguns dos seus filhos mamam abandono, uma teta farta de oportunidades, e outra farta de nada. Tratando alguns legítimos como bastardos e outros que nem saíram do seu ventre, como amados. E o que a mãe recebeu em troca? Foi e continua sendo judiada por alguns filhos ingratos: filhos de sangue, filhos de leite, os únicos que ela amamentou de verdade. Adotei como mãe, a necessidade de vencer, Pois a cidade onde nasci sempre foi a minha madrasta.


Por: Leandro Medeiros Santos.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...